quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Óleos naturais :no enegrecimento e na saúde


O óleo de coco é termogênico e aumenta o gasto energético do organismo e,
 em consequência, a perda de peso e de medida na cintura. (Divulgação)

O ano começa e com ele a promessa de novos hábitos alimentares mais saudáveis. Ingerir óleos funcionais pode ser o empurrão extra para quem deseja eliminar alguns quilinhos. A nutricionista Bianca Strucci, da Nutrizen, explica os benefícios desses óleos usados para ajudar no emagrecimento quando associados a uma dieta balanceada e exercícios físicos.

Óleos Funcionais, o Que São?
Os óleos funcionais, como o óleo de coco e o óleo de cártamo, que são os mais conhecidos, têm vantagens que vão além da perda de peso. Aumentar o metabolismo e a saciedade, manter a pele bonita e atenuar os sintomas do TPM são só algumas das ações comprovadas.
Apesar de o preço ser um tanto salgado, o rendimento é muito bom. Como a ingestão recomendada varia entre duas colheres de chá ou de sopa por dia, cada garrafa dura em média dois meses. Mas lembre-se sempre de ingeri-los em temperatura ambiente, já que o aquecimento pode eliminar alguns nutrientes.
Os óleos funcionais é um tipo especial (triglicerídeos de cadeia média), que não tem colesterol e é rapidamente absorvida e transportada para o fígado. Se consumida na dose certa, portanto, não se acumula como gordura corporal.

Óleo de coco
Segundo os especialistas, o óleo de coco é rica em antioxidantes que apresentam benefícios para o organismo: prevenção de doenças cardiovasculares, auxílio no emagrecimento, redução das taxas de colesterol, ação antifúngica (auxiliando no tratamento de candidíase e gastrite bacteriana) e fortalecimento da imunidade. Por ser um alimento termogênico, aumenta o gasto energético do organismo e, em consequência, a perda de peso e de medida na cintura. Também promove mais saciedade, por ser uma gordura que aumenta o tempo com que os alimentos passam do estômago para o intestino. 

Óleo de cártamo
Extraído das sementes da planta Carthamus tinctorius L., o óleo de cártamo é rico em antioxidantes e ácidos graxos (ômega-9 e ômega-6). Por se tratar de uma gordura, ele auxilia na redução do apetite, já que promove saciedade. Pesquisas também mostram que o óleo de cártamo pode estimular a lipólise (quebra da gordura) e a oxidação de gordura (queima da gordura), favorecendo o emagrecimento. Vale lembrar que o consumo desse e dos outros óleos deve estar sempre associado à prática regular e orientada de atividade física. Quanto ao consumo desses alimentos em cápsulas, a recomendação é de duas cápsulas antes das principais refeições, mas pode haver variações de acordo com o fabricante.  

Óleo de gergelim
De origem oriental, a planta do gergelim tem sementes minúsculas e cheias de propriedades funcionais. O óleo, por sua vez, é rico em substâncias antioxidantes que protegem o fígado dos processos oxidativos e evita o acúmulo de toxinas e gorduras. O produto também contém grandes quantidades de vitamina E, que é anti-inflamatória e alivia os sintomas da TPM.

Óleo de abóbora
O óleo derivado da abóbora é fonte de ômega-6, ômega-9 e vitamina E. Estudos recentes demonstram que ele pode ser utilizado na prevenção de câncer de mama e próstata, já que é rico em beta sitosterol. Para render mais, é bom misturar o óleo ao azeite convencional - o produto vai durar mais! 

Óleo de Linhaça
A linhaça é uma semente oleaginosa rica em ácidos graxos, que ajudam na redução de triglicerídeos, na regulação da pressão arterial e no combate à inflamação das células de gordura. O óleo dessa semente ainda possui lignanas em sua composição, que são transformadas em substâncias semelhantes aos hormônios estrógenos e, em consequência, levam à redução do colesterol total e do LDL (colesterol ruim) e à regulação da pressão arterial. Os ácidos graxos do óleo de linhaça também estimulam mais a saciedade do que os outros tipos de óleo.  

Óleo de girassol
Quando obtido por prensagem a frio, o óleo de girassol vira fonte de ácidos graxos (ômega-6 e ômega-9) e vitamina E, nutriente que auxilia na defesa do organismo contra os radicais livres e evita a formação de placas de aterosclerose (doença inflamatória que afeta os vasos sanguíneos). O óleo também é rico em triptofano, que é um aminoácido precursor do neurotransmissor serotonina, capaz de atuar no controle do sono e do apetite e na melhora do humor e do inchaço.

Óleo de amêndoa
Esse óleo é rico em ômega-9 e ômega 6, que garantem um bom funcionamento do sistema cardiovascular.  Além disso, ele pode ser usado também para aplicar na pele. Isso mesmo! Ele tem as mesmas (e até mais) propriedades que os óleos e cremes hidratantes de aplicação exclusivamente tópica.  

Óleo de macadâmia
Ótima opção contra o envelhecimento, o óleo de macadâmia contém grande quantidade de ômega-9 e ômega-7, que fazem parte da composição natural da pele, mas diminuem conforme a idade avança. Esse tipo de óleo repõe essa substância perdida pelo organismo e proporciona um aspecto mais jovial ao rosto, podendo ser aplicado topicamente. Ele também auxilia no controle do triglicérides e da glicemia do sangue.  

Contato
Telefone: (24) 98168-8708
Facebook/biancanutricionistapetro
Instagram: @biancanutricionistapetro
E-mail: biancarsnutricionista@gmail.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário