segunda-feira, 14 de abril de 2014

Chocolate e Vinho, um casamento difícil?

PAPO DE ADEGA. Com a proximidade da Páscoa, a tentação de se consumir chocolate é irresistível. Ovos, tortas, bolos e outras delícias produzidas com chocolate certamente farão a alegria da criançada e dos adultos, que nesta época do ano adoram voltar à infância. Uma das dúvidas mais comuns dos apreciadores de vinhos é se o chocolate combina ou não com vinho. (por Flávia Medeiros)

Sabendo combinar com o vinho certo, a harmonização fica perfeita! (Divulgação)

Se combina, qual o tipo do vinho que melhor enfrenta este desafio? 
De modo geral, o chocolate derrete na boca, criando uma película que recobre a língua, literalmente destruindo a  maioria dos vinhos que porventura disputem o mesmo espaço. Na presença do chocolate os vinhos costumam perder a expressão, sumindo na boca. Os chocolates com maior teor de cacau costumam ter mais consistência e toques amargos, sendo, de modo geral, mais interessantes para combinar com vinho, mesmo não sendo unanimidade entre os consumidores brasileiros, que ainda preferem os chocolates mais doces. 
Partindo dessa premissa, algumas regras são muito importantes para que o casamento de chocolate com vinho não termine em catástrofe.
·         Use sempre vinhos doces;
·         Use sempre vinhos de elevado teor de álcool (fortificados);
·         Evite vinhos envelhecidos e complexos;
·         No caso de mousses e tortas, inclua elementos ácidos (frutas) na receita.
Em se tratando de Vinho do Porto e Chocolate, vale lembrar que para o chocolate puro, a partir de 60% de cacau (doce, amargo ou meio-amargo), a melhor combinação é um Porto Ruby.
Chocolates mais doces podem ser harmonizados com o exótico e delicioso Jerez Pedro Ximenes, cujos intrigantes aromas de melado de cana o tornam ainda mais interessante.
Uma tendência que vem ganhando adeptos nos últimos anos é combinar chocolate com vinhos secos, o que, em tese, não é uma ideia que encontra respaldo na teoria. Entretanto, se olharmos com mais atenção as harmonizações que estão sendo propostas com esse tipo de vinho, veremos que estas só dão certo se os princípios que enumerei  no início deste artigo estiverem presentes. 
Assim, para a mágica funcionar, devemos usar chocolates com 70% ou mais de cacau, em finas lâminas que se desmancham na boca e vinhos com sabores de frutas muito maduras e álcool elevado, elementos esses que acabam dando ao vinho um caráter de doçura, que os torna adequados para harmonizar com chocolate. Na teoria são vinhos secos, pois não possuem açúcar residual, mas na prática se comportam como vinhos doces e, adivinhem, “fortificados”, exatamente como a teoria pede.
Exemplos de vinhos secos tintos que podem se combinar com chocolate são os potentes tintos australianos elaborados com a uva Shiraz e os nossos conhecidos tintos argentinos produzidos com a uva Malbec. Note que estes são os vinhos mais adequados para os exóticos bombons recheados de queijos e especiarias, que vêm cada vez mais ganhando espaço entre os gourmets mais exigentes.
Faltou ainda comentar sobre o chocolate branco, que, em princípio nem poderia ser chamado de chocolate, mas que assim mesmo possui uma imensa legião de admiradores. Para este chocolate minha sugestão seria um intenso e adocicado Porto Branco, que certamente enfrentará a doçura e textura untuosa do chocolate branco com bravura, ou ainda um delicioso Moscatel de Setúbal, outra das preciosidades de Portugal.
Como se vê, sabendo escolher, pode ser difícil, mas certamente não é impossível.

(*) Flávia Medeiros
Consultora em vinhos e com especialização na área. No Brasil é uma das poucas profissionais que conta com a certificação Wine & Spirit Education Trust – Level 2
Contato: chateaumedeiros@hotmail.com 


Nenhum comentário:

Postar um comentário