sábado, 3 de junho de 2017

Papo de Adega

 E chegamos ao mês mais romântico do ano! Que seja Junho... e o Dia dos Namorados!


O vinho certo faz toda a diferença. (Divulgação)

por Flávia Medeiros*      
Comemorado no dia 12 de junho, dizem que a data foi escolhida por ser a véspera do dia de Santo Antônio, o “santo casamenteiro” e que tem muitas devotas.
Mas a data também faz parte da tradição de outros povos. Nos Estados Unidos e na Europa é comemorado no dia 14 de fevereiro, dia de São Valentim (Valentine´s Day, em inglês).
A origem do dia de São Valentim é controversa. A Igreja Católica cita que Valentim foi um sacerdote que viveu em Roma no século III, época em que o Imperador Claudius II proibiu o casamento durante as guerras, por achar que os soldados solteiros eram melhores em combate. (Será?). Mas, o sacerdote continuou a realizar os casamentos em segredo. Quando o imperador descobriu condenou Valentim à morte. Após sua execução em 14 de fevereiro, São Valentim passou a ser o padroeiro dos apaixonados.
Crendices a parte, fui em busca do seguinte entendimento: O que significa  namoro e como ele está ligado  ao Vinho?
Namoro significa a relação afetiva mantida entre duas pessoas que se unem pelo desejo de estarem juntas e partilharem experiências. Hoje em dia, em muitos casos o namoro não tem como objetivo o casamento. São namoros liberais e as relações tendem a ser mais abertas.
A  fase da conquista seja ela pessoal, profissional ou familiar é muito intensa no quesito sensações.  Frio na barriga, arrepios, suor, tremores, dúvidas, medo, atitudes impensadas, e até decepções. Ufa!  Isso é uma salada de sensações e muito tempo de terapia...
Caros leitores, vivemos em eterno namoro com a vida. Desejamos sempre, conquistamos às vezes, e nos decepcionamos de vez em quando. No mundo do vinho também é assim, sempre há o desejo de querer acertar, de desvendar o melhor aroma e sabor, de ter aquela sensação prazerosa em cada gole, de conhecer o encanto de uma casta, de saber o que tem além do cheiro, da cor, do corpo presente em boca e do prazer proporcionado. E aí, quando se encontra a harmonização perfeita do conjunto... Eureca! Esse namoro poderá virar casamento!
E como seria essa perfeição harmônica que tornaria os apaixonados em eternos amantes? Nem o vinho e nem o alimento pode se sobrepor, nenhum sabor pode ser mais intenso ou longo que o outro. Eles começam e terminam juntos. Por isso, a característica da uva, o terroir, a graduação alcóolica, o prato a servir e claro a companhia devem ser avaliados, pois no final serão um só. É sabido que na vida nem sempre as coisas caminham com tanta harmonia, mas se procurarmos agir com um pouco mais de dedicação e amor, talvez todos os tipos de namoro virassem casamentos, onde a admiração e a conquista diária estariam  em plena harmonia! Aos solteiros de plantão, dediquem um pouco dessas dicas a outras rotinas diárias, assim, ficarão mais harmoniosas e sedutoras.
Desejo um ótimo dia dos namorados a todos aqueles que nessa data podem compartilhar de momentos de pura felicidade. Que tenham sabedoria na escolha do vinho, pois um bom coadjuvante só fará ressaltar o protagonista da data, o AMOR!
Até a próxima!

(*) Consultora em vinhos e com especialização na área. No Brasil é uma das poucas profissionais que conta com a certificação Wine & Spirit Education Trust – Level 2. Contato: chateaumedeiros@hotmail.com 






Nenhum comentário:

Postar um comentário