terça-feira, 4 de abril de 2017

Sandra Antunes: uma chef ‘sem fronteiras’!..

Natural do Rio de Janeiro, a administradora de empresa Sandra Antunes teve muitas idas e vindas até se estabilizar em Petrópolis, cidade que já reside há 20 anos. O interesse por alimentos começou desde cedo para essa bisneta de português com índio que cresceu cozinhando com a família em um sítio em Paty do Alferes. Até chegar de fato na gastronomia, foram 16 anos trabalhando com ciências exatas.
“Cozinhava por hobby e gostava de inventar receitas para as filhas e o marido. Até que, um dia virou paixão! Neste momento resolvi buscar algo que me fizesse feliz, por isso optei por um curso para me aperfeiçoar”, conta.
Sandra se formou em Gastronomia pelo Senac - Petrópolis e lá mesmo chegou a ministrar aulas (RPA) de Corte, Cocção e Congelamento. Também cursou Cake Design e Cozinha Italiana e fez extensão em Eco Gastronomia na FMP/Fase.  E não demorou muito para começar a fazer eventos de aniversário, almoço e jantares, além de ter sido convidada a elaborar o cardápio do Bistrô Marché Carolli, em Ipanema (Rio). Ela possui um estilo único, inconfundível. Suas criações, postadas diariamente em suas mídias sociais, chamam a atenção pela criatividade e irreverência dos pratos – sempre belos, coloridos e harmoniosos, difícil não se apaixonar!
Atualmente, Sandra presta serviço de Chef em Domicilio e trabalha com a produção de eventos fechados e temáticos. Também recebe grupos de até 12 pessoas em sua casa para almoços e jantares onde prepara o que o cliente tem vontade de comer, com direito a entrada, prato principal e sobremesa. E a sua cozinha, como você a define? Perguntei. E ela não hesitou: “Contemporânea, ‘De Raiz’, aquela que permite a inclusão de cores, sabores e não restringe nenhum ingrediente, nem mesmo os pancs (plantas alimentícias não convencionais)”, finalizou a Chef que sonha colocar suas receitas em um livro!

Qual a maior qualidade que um (a) chef deve ter: Respeito pelos insumos, sazonalidade.
Um (a) chef de cuisine que admira: chef Lydia Gonzales.
O prato que mais gosta de preparar: Filé à la Boheme, do restaurante Lellis Trattoria (SP)
Prato que gosta de comer em um restaurante e qual restaurante? Polvo a la Galega, prato principal no restaurante Sainte Marie Gastronomia (SP)
Comida afetiva: Um cozido
Prato preferido: Um Couscous de arroz integral com vegetais, inventado por mim
O que não comeria jamais? Como de tudo!
Ingrediente que não pode faltar na sua cozinha: pimenta (as preferidas são as de biquinho e de cheiro do Pará)
Qual o ingrediente que ‘salva’ qualquer prato? Ervas frescas para os pratos salgados e flor de sal para os doces.
Qual o seu tempero preferido: tenho paixão por tomilho
Sal ou açúcar: sal
Para quem gostaria de cozinhar? Para você (Marise Simões)
Prato que cura tudo: Sopa restaura (a base de folhosas, tubérculos e vegetais)
Sobremesa: Tiramisu
Um filme inesquecível que fala de comida: 100 Passos para um sonho
Livro de cabeceira: Bíblia
Um escritor (a): Marta Medeiros
Palavra mais bonita na gastronomia: Mis en place
E a mais feia: Perdeu a receita!
Um Roteiro Gastronômico: Paraty
Projeto do bem: “Segunda sem Carne” para incentivar a diminuição do consumo da carne
Que mensagem deixaria para quem deseja se tornar chef: Primeiramente antes de ser chef tem que ser cozinheiro. Tem que ter alma, gostar do eu faz e, acima de tudo, ter caráter. A primeira palavra que um cozinheiro tem que ter é respeito, depois humildade. O resto lhe será acrescentado. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário