segunda-feira, 6 de março de 2017

Os encantos de uma mulher visto além de uma taça!

PAPO DE ADEGA

por Flávia Medeiros*

Flávia Medeiros

Dizem que entender uma mulher não é muito fácil.
Eu discordo! Somos tão previsíveis...rs
Pois é, mas se você consegue entender e amar a tão afamada Região de Borgonha, seus mistérios e sua versatilidade de expressão, parabéns, você tem um lado feminino bem lapidado.
Mas sempre resta alguma coisa que não se consegue capturar. É talvez exatamente isso  que esteja toda a graça do vinho dessa região. Como uma mulher, os vinhos da Borgonha são incrivelmente simples (apenas duas uvas são consideradas principais, a Chardonnay e a Pinot Noir) e muito complicados (como apenas duas uvas podem gerar vinhos com tamanhas diferenças?).
A explicação é o Terroir (solo, clima ou seja, a geografia). Em nenhum outro lugar ele se
manifesta de maneira tão óbvia como na Borgonha. Dependendo do lugar onde a uva nasce, cresce , poderá adquirir determinada personalidade, que será diferente da sua vizinha de fileira. Os vinhos da Borgonha precisam ser admirados e amados. Precisam de dedicação para ser experimentados da forma correta, não são “fraquinhos” como popularmente são taxados, tem personalidade. Eles, assim como as mulheres, não se deixam entender logo de cara, precisam de degustadores sensíveis, capazes de compreender a delicadeza que não é sinônimo de fraqueza e só se mostram em todo o seu esplendor àqueles que querem de fato saber seu valor.
Resumidamente, você pode entender Borgonha assim:
- O Borgonha branco é feito principalmente de Chardonnay e o tinto, de Pinot Noir. Embora outras uvas sejam plantadas na região, pouco são consideradas.
- Beaujolais é considerada uma subregião da Borgonha. Embora sua principal uva seja a Gamay e seus vinhos sejam completamente diferentes, muitos autores tratam Beaujolais como uma região à parte.
-Ao contrário da maior parte da França, os vinhos são feitos de apenas uma uva.
Falar tudo sobre Borgonha demanda não só nossa coluna, mais sim o jornal inteiro, eu particularmente adoro os mistérios e as surpresas que cada taça desses vinhos revelam. Mas, comparando seus vinhos com as mulheres, o fato é: mesmo tendo várias faces, aromas e posturas, são imprevisíveis, misteriosos, encantadores, e fazem toda diferença quando bem trabalhados. Quem não conhece uma mulher assim?  Então meninas, o mês de março é todo nosso, e merece um bom Borgonha.
Parabéns a todas nós mulheres!


(*)  Consultora em vinhos e com especialização na área. No Brasil é uma das poucas profissionais que conta com a certificação Wine & Spirit Education Trust – Level 2. Contato: chateaumedeiros@hotmail.com 


Nenhum comentário:

Postar um comentário